Skip to main content

Sintomas de Diabetes - Autocontrole

Sintomas_de_Diabetes_-_Autocontrole

As pessoas com diabetes sofrem com as variações glicêmicas que podem causar sintomas e desconfortos. Identificar esses altos e baixos a tempo é indispensável para começar a tomar atitudes que previnam o surgimento de moléstias ou sintomas de hiper ou hipoglicemia e complicações imediatas e tardias. Por isso, o automonitoramento é muito relevante.

Considera-se que uma pessoa se automonitora quando tem um aparelho especial, chamado glicosímetro, que mede de forma rápida e simples a quantidade de glicose no sangue. Essa medição pode ser feita a qualquer momento ou em qualquer lugar, já que é um aparelho portátil. O glicosímetro funciona com uma gota de sangue que o paciente consegue picando o dedo com uma lâmina. Esse sangue é colocado sobre uma tira reagente, que é posicionada no glicosímetro para que ele faça a leitura dos níveis de glicemia do paciente.

Existem várias marcas e modelos de glicosímetro no mercado. Alguns são maiores, outros menores, uns são mais pesados e outros mais leves. Existem os que armazenam os dados na memória e outros que permitem o acesso a aplicativos de informática para a análise dos dados. Há até os que possuem um software de segurança que avisa quando ocorre algum erro de manipulação por parte do usuário ou na manutenção do sistema. O fato é que o paciente tem que escolher a opção mais simples e fácil para seu uso.

A tendência é escolher, cada vez mais, dispositivos que precisem de menor volume de sangue, que mostrem os resultados no menor tempo, que contem com um indicador de hipoglicemia e que possuam acesso ao suporte técnico. O usuário não pode esquecer que o preço das baterias e das tiras reagentes também é um fator determinante. Dependendo da marca e do modelo, alguns glicosímetros podem ser um pouco mais precisos que outros, mas não se preocupe, pois, em geral, todos oferecem uma aproximação bastante precisa dos valores reais.

O primeiro objetivo para o paciente no automonitoramento é que ele consiga manter o controle da sua doença, seu estilo de vida e seu tratamento, modificando-os de acordo com os resultados obtidos nos exames. Outra meta é ajudar o médico a identificar os momentos do dia e da semana em que a doença atinge seu auge, para que ele possa fazer algo a respeito. Mesmo que os valores para cada paciente sejam diferentes e dependam de uma série de fatores, em termos gerais, os níveis ótimos da glicemia são:

Momento do dia Nível de glicose no sangue
Antes da refeição 70 – 130 mg/dL
Duas horas após a refeição Menos de 180 mg/dL

O auto monitoramento da glicemia pode alertar também sobre situações de perigo. Um valor inferior a 40 mg/dL sem nenhum sintoma evidente significa que o paciente precisa consultar seu médico imediatamente. Valores de glicemia persistentemente inferiores a 70 mg/dL também são sinal de alarme, assim como os valores persistentemente superiores a 200 mg/dL ou um valor superior a 300 mg/dL.

O registro dos exames pode ser feito em papel, de forma limpa e organizada, e pode ser acompanhado de um resumo detalhado dos alimentos ingeridos, os horários das refeições e a hora em que os medicamentos foram tomados. Isso permitirá que o médico faça uma análise mais apurada da situação e que possa dar melhores orientações no processo da doença.

Lembre-se: está comprovado que as pessoas com diabetes que testam sua glicemia têm um controle melhor da doença do que as pessoas que não o fazem. Vamos lá, comece seu auto monitoramento agora.

Revisado em: Nov/2016. 059528-160905