Skip to main content

O que é Hipoglicemia e Como Evitar

O_que_e_Hipoglicemia_e_Como_Evitar

O exercício físico pode ser classificado em duas formas: aeróbico e anaeróbico. Atividades anaeróbicas são caracterizadas pela maior intensidade do trabalho muscular, como tênis, levantamento de peso, artes marciais, entre outras. Atividades aeróbicas envolvem menor intensidade de trabalho muscular e maior resistência cardiovascular, como correr, andar de bicicleta, remar, praticar natação e outros esportes de resistência.

Muitas atividades aeróbicas incluem rajadas de atividade anaeróbica, como o futebol e o beisebol. Os esforços anaeróbicos duram apenas um curto período de tempo (apenas segundos, algumas vezes), mas podem aumentar muito o nível de glicose, devido à liberação dos hormônios de adrenalina e glucagon. Esse aumento de açúcar no sangue geralmente é transitório, pois dura de 30 a 60 minutos, e pode ser seguido por hipoglicemia nas horas após o término do exercício. Já as atividades aeróbicas tendem a diminuir a glicose, durante (entre 20 a 60 minutos após o início) e após o exercício.

É normal que o nível de glicose atinja 6,7 mmol/L (120 mg/dL) ou mais antes do início do exercício para evitar a hipoglicemia. Podem ser necessários vários testes de glicose (espaçados em cerca de 30 minutos cada) antes de começar o exercício, para determinar se o nível está subindo ou descendo. Se a glicose for menor que 5 mmol/L (90 mg/dL), não aumentar e a atividade for principalmente aeróbica, existe um risco alto de você apresentar hipoglicemia durante o exercício. Se houve um episódio de hipoglicemia antes do exercício (mesmo durante a noite anterior), o risco de hipoglicemia durante a atividade física também é alto. Se você fizer exercício até 2 horas antes de uma refeição, geralmente é necessário baixar a dose de medicação em 30 a 50%, ou uma redução ainda maior caso o exercício seja de 90 minutos ou mais.

Um estudo foi realizado com esquiadores de cross-country, portadores de diabetes tipo 1. Quando reduziram a dose de insulina em 80% antes da refeição, eles foram capazes de continuar esquiando por várias horas. Já os que tiverem redução de 50% só continuaram por 90 minutos. Algumas pessoas consideram que a redução na dose de insulina antes das refeições pode provocar um aumento inicial na glicose, o que prejudica o desempenho. Nesse caso, provavelmente seja melhor contar com uma ingestão extra de carboidrato, em vez de reduzir a dose.

Se você fizer exercícios para os músculos das pernas e injetar a insulina na coxa, ela será absorvida mais rapidamente a partir do tecido subcutâneo (principalmente se for do tipo de ação curta). Se injetar insulina em uma profundidade que alcance o músculo, ela será absorvida mais rapidamente ainda, correndo o risco de ter hipoglicemia. É importante lembrar que só o exercício não é suficiente para baixar o nível de glicose, a insulina também é necessária.

A glicose da corrente sanguínea precisa de insulina para ser captada pelas células musculares. A taxa de absorção de glicose nos músculos de um adulto é de aproximadamente 8 a 12 g por hora quando o exercício possui um ritmo normal. Em exercícios pesados, é mais do que o dobro. Os níveis dos hormônios adrenalina, glucagon e cortisol na corrente sanguínea aumentam durante o exercício físico.

A glicose que está no depósito do fígado é liberada e nova glicose é produzida no fígado a partir das proteínas. Se o fígado não for capaz de aumentar a sua produção de glicose, o nível de açúcar vai baixar cerca de 0,1 mmol/L (2 mg/dL) por minuto, resultando logo em hipoglicemia. Da mesma forma, um nível elevado de insulina no sangue contrabalança a produção de glicose no fígado que, por sua vez, aumenta o risco de hipoglicemia. Em pessoas sem diabetes, o nível de insulina no sangue cai durante o exercício.

Revisado em: Nov/2016. 059528-160905