Skip to main content

Drogas Ilícitas e o Diabetes

Drogas_Ilicitas_e_o_Diabetes

Se você é jovem, mais cedo ou mais tarde terá a oportunidade de experimentar drogas ilegais. Em muitos casos, os jovens são pressionados por amigos e colegas para "serem como todo mundo" e provarem a substância da moda. Isso pode causar problemas para qualquer pessoa, mas se você for portador de diabetes, enfrentará riscos adicionais.

As drogas afetam o cérebro e o sistema nervoso, tornando muito mais difícil administrar o diabetes. Muitas dessas substâncias fazem você esquecer e o risco de cetoacidose aumenta, caso você não tome insulina suficiente ou não aplique suas injeções. Se os amigos sabem sobre a sua condição e como tratar a hipoglicemia, podem ser capazes de ajudá-lo. Se a pessoa com diabetes utilizar algum tipo de identificação com informações sobre sua condição, poderá receber a atenção requerida. Se não, levará algum tempo para conseguir ajuda adequada, mesmo que a polícia ou uma ambulância intervenha.

Algumas drogas podem ter riscos mais específicos, associados aos vasos sanguíneos. A anfetamina é conhecida por danificar o revestimento dos vasos sanguíneos, aumentando, assim, a curto ou longo prazo, os riscos de complicações decorrentes do diabetes. Muitas pessoas que utilizam drogas não cuidam bem de si durante esse consumo.

"Sintéticas"

Drogas sintéticas como anfetamina (speed, zumbido, sulph), metanfetamina (cristal, vidro, gelo), ecstasy (E, pílulas, pombas) são estimulantes que dão mais energia e confiança. Isso as torna populares em clubes, festas e raves. O risco de desidratação, quando o corpo perde líquido através da dança ou outras atividades, é uma preocupação especial para qualquer pessoa com diabetes. Nesse sentido, essas drogas podem ser extremamente perigosas para uma pessoa portadora de diabetes. Foram relatados dois casos de cetoacidose em adolescentes que tomaram ecstasy.

A cocaína (coque, charlie, neve), também é utilizada para aumentar a confiança. O preço dessas drogas vem caindo nos últimos anos, o que significa que estão cada vez mais acessíveis nas ruas. A cocaína é uma droga classificada como Tipo A, sendo que sob a forma de crack, pode ser muito viciante.

Benzodiazepínicos

São medicamentos utilizados de forma controlada por médicos, prescritas para as pessoas que têm dificuldade em dormir, ou sofrem de ansiedade. No entanto, existe um "mercado negro" para eles, pois também são utilizadas como "drogas recreativas".

A mais conhecida droga neste grupo é o temazepam. Ela pode fazer com que você se sinta relaxado e sonolento, mas, se tomar uma dose maior, pode ter efeitos semelhantes aos de uma grande ingestão de álcool. Ela pode torná-lo muito falador ou superanimado e, por vezes, agressivo. Ela também lhe dará uma falsa sensação de confiança prejudicando o seu julgamento. Será certamente muito difícil para você estar ciente de que o seu nível de glicose ficou muito alto ou baixo, e, pode até fazer com que se esqueça de tomar a sua insulina.

Cannabis

O uso de maconha (cannabis, haxixe, sopro e ervas daninhas) tem sido vista como menos prejudicial do que "drogas pesadas", como a heroína, cocaína ou anfetaminas. Em 2005, o Ministério do Interior do Reino Unido publicou um novo relatório mostrando que a cannabis pode, de fato, causar um prejuízo significativo – tanto para a saúde física quanto para a psíquica.

Em termos de administração do diabetes, a cannabis é propensa a prejudicar seu julgamento da mesma maneira que tomar muito álcool. Combinando a cannabis com o álcool (como acontece frequentemente) somam-se riscos especiais nas decisões relacionadas com o diabetes como, por exemplo, quanto a acordar no dia seguinte. Muitas pessoas que utilizam essa droga encontram-se especialmente famintas e querem comer muito, especialmente alimentos gordurosos, o que irá aumentar o nível de glicose consideravelmente.

Alucinógenos

Os alucinógenos alteram a sua percepção do mundo exterior. O ácido lisérgico, ou LSD (ácido), cresceu junto da cultura hippie nos anos 60 e 70. Embora menos utilizado, ele ainda está disponível hoje em dia. A utilização dessa droga pode levá-lo a ter um estranho sonho ou um pesadelo além da sua imaginação. Mesmo que tenha tomado ácido antes, os efeitos são imprevisíveis e normalmente o efeito dura entre sete e 12 horas.

Outra droga alucinógena comum é o cloridrato de quetamina (quetamina, K).  Ele foi desenvolvido inicialmente para uso anestésico hospitalar, mas, devido aos bizarros efeitos que causa, é raramente usado para este fim. Grande parte da quetamina que é vendida na rua hoje em dia é originalmente destinada para uso veterinário. Como a droga foi originalmente desenvolvida como um anestésico, pode levar à perda da sensação física e até mesmo da capacidade de movimento, assim como alucinações e experiências fora do corpo. Os efeitos podem ser particularmente preocupantes se for misturado com álcool.

Revisado em: Nov/2016. 059528-160905