Skip to main content
O_Diabetes_o_Pancreas_e_a_Insulina

O diabetes, o pâncreas e a insulina

O pâncreas é uma glândula presente no organismo de todos os seres vertebrados. No corpo do ser humano está localizado na parte superior do abdômen, atrás do estômago e diante da coluna vertebral. Ele tem o tamanho de uma mão, pesa cerca de 65 gramas e possui 18 centímetros de comprimento, quatro de altura e dois de largura. A glândula desemboca no duodeno e é um dos principais responsáveis pelo armazenamento de sucos digestivos.

Esta é a única glândula do corpo humano que exerce duas funções: ele é tanto exócrino (secretando suco pancreático, que contém enzimas digestivas) quanto endócrino (produzindo muitos hormônios importantes, como insulina, glucagon e somatostatina). O pâncreas também é o principal órgão no controle da glicemia, a taxa de açúcar no sangue. Ele é responsável pela produção de insulina, hormônio que lubrifica a "parede" da célula, para que ela absorva os carboidratos em forma de energia(1).

Conhecido como o combustível do metabolismo humano, a glicose é a principal fonte de energia para o equilíbrio das funções corporais. Este açúcar presente nos alimentos, especialmente nos carboidratos, é encontrado tanto em frutas e verduras, como em doces, bebidas gasosas, nozes, cereais e pão. Parte da glicose que se obtém na digestão dos carboidratos, é utilizada como fonte de energia para a execução dos processos do corpo. A glicose não utilizada fica armazenada no fígado.

Durante as refeições, o sistema nervoso identifica que os alimentos estão a caminho do estômago e, através dos nervos, manda sinais elétricos ao pâncreas para que libere suas enzimas no intestino e os hormônios na corrente sanguínea.

A insulina é a responsável pela redução da taxa de glicose no sangue (glicemia). Assim, este hormônio é responsável por auxiliar o organismo a utilizar a glicose obtida dos alimentos que ingerimos, na produção de energia nas células, ou armazenar glicogênio no fígado, tornando-se essencial na manutenção do equilíbrio do corpo.

Quando o pâncreas identifica que os níveis de glicose no sangue estão muito baixos, ele secreta o outro hormônio, o glucagon. Este hormônio alerta ao fígado para que libere parte da glicose que mantém armazenada.

Quando a insulina não é suficiente, a glicose se acumula, especificamente no sangue, dando origem a uma série de complicações. A longo prazo, este acúmulo pode provocar danos ao corpo e reduzir significativamente a qualidade de vida das pessoas. A elevação da glicose no sangue é chamada de diabetes.

Fonte:

(1)Diabetes.co.uk – The Global Diabetes Community – Disponível em: https://www.diabetes.co.uk/body/pancreas-and-diabetes.html. Acesso em: 30/11/2016.

Revisado em: Nov/2016. 059528-160905