Skip to main content

Diabetes no Brasil

diabetes_no_brasil

O número de pessoas com diabetes varia muito de país para país. Na Europa e nos Estados Unidos, estima-se que 50 milhões de pessoas tenham diabetes tipo 1 ou tipo 2. O risco que uma criança tem de desenvolver diabetes tipo 1, antes de chegar à idade adulta, é de aproximadamente 0,3% a 0,5% nos países escandinavos.

A incidência varia entre países, e estima-se que 430 mil crianças e adolescentes com idade até 14 anos tenham diabetes no mundo. A cada ano, surgem outras 77 mil crianças com diabetes nessa faixa etária e mais 119 mil acima dos 15 anos.

Nos Estados Unidos, todo ano são diagnosticados aproximadamente 13 mil novos casos de diabetes em crianças. Aproximadamente 154 mil indivíduos americanos abaixo dos 19 anos têm diabetes, tornando-a a segunda doença crônica com maior incidência em crianças na fase escolar – a primeira é a asma. No Reino Unido, existem 20 mil crianças menores de 15 anos com diabetes. Na Suécia, o diabetes tipo 1 acomete aproximadamente 6,5 mil e adolescentes e surgem aproximadamente 700 novos casos a cada ano em menores de 18 anos.

Existe um lento, mas constante, aumento no número de casos diagnosticados por ano na maioria dos países, sobretudo na faixa etária mais jovem. O aumento anual na Europa, da faixa etária até os 14 anos, de 1989 a 1999, foi de 3,2%. No entanto, na Suécia, a incidência na faixa etária dos 15 aos 34 anos vem diminuindo, o que indica que as mesmas pessoas estão adquirindo diabetes em idades precoces.

No Reino Unido, também existe um aumento contínuo do número de novos casos nas idades entre 0 e 14 anos, ao longo dos últimos 20 anos (por volta de 6% ao ano), mas não para jovens adultos com idades entre os 15 e os 29. A Finlândia tem a maior incidência de diabetes na infância e adolescência do mundo e a Suécia vem em terceiro, após a Sardenha. No Japão, adolescentes e crianças com diabetes tipo 1 são muito raros. Embora 120 milhões de pessoas vivam no Japão, o número real de crianças japonesas e adolescentes com diabetes é aproximadamente o mesmo que o da Suécia.

Não sabemos porque existem diferenças de um país para outro, mas isso depende, pelo menos em parte, de diferenças culturais e ambientais. Por exemplo: o diabetes é mais comum entre os imigrantes asiáticos que vivem no Reino Unido do que no restante dos seus familiares em seus países de origem.

Revisado em: Nov/2016. 059528-160905