Skip to main content

Diabetes Gestacional - Qual Tratamento Seguir

Diabetes_Gestacional_-_Qual_Tratamento_Seguir

Primeiramente, é necessário iniciar um plano de alimentação equilibrado, que permita à mãe e ao bebê ganharem peso de maneira saudável, sem afetar os níveis de glicose. Em geral, o consumo de doces e carboidratos (açúcares) deve ser limitado e devem ser feitos pequenos lanches entre as refeições, para manter os níveis de glicemia estáveis. Também é recomendável um programa de exercícios moderados.

Se os níveis de glicose continuarem subindo, apesar do plano de alimentação e do programa de exercícios, um tratamento farmacológico deve ser iniciado. O medicamento mais estudado, seguro e indicado é a insulina. Para isso, o médico precisa passar as instruções necessárias com relação aos tipos de insulina, seringas, injetores, técnicas de aplicação e dosagem.

Os níveis de glicemia devem ser controlados rigorosamente com o medidor de glicose. Também é recomendável determinar os níveis de cetona no sangue ou na urina, no mínimo uma vez por semana, de preferência em jejum e na primeira urina da manhã. Os parâmetros que qualificam um bom controle glicêmico durante a gestação são os seguintes:

  • Glicemia em jejum, pré-prandial, antes de dormir e à meia-noite ≤ 95 mg/dL;
  • Glicemia 1 hora pós-prandial ≤ 140 mg/dL, medida a partir do início da refeição;
  • Glicemia 2 horas pós-prandial ≤ 120 mg/dL, medida a partir do início da refeição;
  • Glicemia entre 2:00 e 6:00 da manhã entre 60 e 120 mg/dL;
  • Hemoglobina glicada A1c < 6,5% no trimestre;
  • Cetonúria negativa na primeira urina da manhã e no caso de glicemia elevada;
  • Ter um ganho de peso adequado.

O acompanhamento realizado pela equipe de saúde é essencial e deve incluir médico, nutricionista, ginecologista obstetra e psicólogo. Os aspectos educativos também são fundamentais quanto à importância de um bom controle metabólico, a fim de evitar complicações para a mãe e para o bebê.

Para a maioria das mulheres que apresentam diabetes gestacional, a doença desaparece após o parto. Apenas um pequeno número de mulheres continua a apresentar o problema. Portanto, é recomendável realizar novos testes de glicemia no sangue entre a 6ª e a 12ª semana após o parto, para determinar se os níveis de açúcar voltaram ao normal ou para diagnosticar o grau de alteração glicêmica remanescente.

Os estudos de acompanhamento das mulheres que desenvolveram diabetes gestacional demonstram que elas têm uma probabilidade de 50% de desenvolver diabetes tipo 2 nos 20 anos subsequentes a tal gestação. Portanto, é recomendável manter um plano de alimentação equilibrado, uma rotina de exercícios, evitar ganhar peso, analisar os níveis de glicose regularmente e fazer o controle do diabetes anualmente. Afinal, o tratamento oportuno e adequado melhora o prognóstico da mãe e do bebê.

Revisado em: Nov/2016. 059528-160905