Skip to main content

Condicionamento Físico e Diabetes

Condicionamento_Fisico_e_Diabetes

O exercício deve ser agradável e não forçado. Alguns preferem esporte, enquanto outros preferem sentar-se calmamente com os livros, a televisão ou o computador. Devemos ajustar o tratamento com insulina de acordo aos hábitos da pessoa, e não o inverso.

Todos devem ser incentivados a realizar alguma forma de atividade física regular, mesmo que seja só andar de bicicleta ao trabalho ou escola, e as pessoas com diabetes não são exceção a essa recomendação. Os exercícios regulares podem ajudar a reduzir os fatores de risco cardiovascular (sobrepeso, hipertensão, alto teor de lipídios no sangue) em adultos e adolescentes com diabetes tipo 1.

Em contrapartida, a falta de exercício físico e atividade muscular em alguns adolescentes parece contribuir para um aumento da resistência à insulina, uma tendência para ter excesso de peso e uma deterioração do controle glicêmico. Quando os músculos estão trabalhando, o armazenamento de glicose (glicogênio muscular, cerca de 400 g em uma pessoa adulta) é utilizado em primeiro lugar. Somente após isso é que a glicose no fígado e os ácidos graxos (que separam produtos da gordura) são utilizados como combustível.

Durante o exercício, os músculos consomem mais glicose, o que resulta numa redução no nível glicêmico, sem aumentar a quantidade de insulina necessária. Após o exercício, a musculatura terá um aumento na sensibilidade insulínica por um a dois dias, aumentando o risco de hipoglicemia. O que significa que: exercitar-se de três a quatro vezes por semana irá resultar em um aumento da sensibilidade de insulina, que pode começar de quatro a seis horas depois do exercício, ou à noite, se você fez algum exercício a tarde. Com isso, o total da dose de insulina pode provavelmente ser menor.

Revisado em: Nov/2016. 059528-160905