Skip to main content

Alimentação Saudável para pessoas com diabetes

alimentacao_saudavel_para_pessoas_com_diabetes

A dieta desempenha um papel importante no gerenciamento do diabetes, mas escolher a opção certa e regular as refeições pode parecer um campo minado para um jovem. Mas não precisa ser assim. Seguindo algumas orientações simples, você pode se preocupar menos em "quebrar as regras" e pensar melhor nas delícias que comerá. Afinal, a comida deve ser divertida.

Alimento

No passado, os nutricionistas aconselhavam as pessoas com diabetes a seguirem uma dieta muito restrita no que se refere à ingestão de carboidratos. Os alimentos com açúcar eram excluídos da dieta. Isso causava um sentimento de culpa muito forte quando elas quebravam as regras. Por exemplo: variar um alimento ou satisfazer uma vontade de comer doces não era incentivado e era visto por algumas pessoas como um "pecado". Mas isso é passado e inadequado. Não está comprovado que a inclusão de alimentos com quantidades moderadas de açúcar atrapalhem o controle de glicose.

É pouco provável que cumprir um padrão rígido de refeição, com alimentos selecionados, seja necessário só por causa do diabetes, especialmente se estiver tomando insulina antes das refeições com injeções múltiplas ou bomba de insulina. Muitas pessoas com diabetes vivem uma vida completa e variada, desfrutam de seus alimentos e ainda conseguem controlar seus níveis de glicose de forma eficaz. Quanto mais conhecimento você tem sobre os alimentos com carboidratos e seus efeitos sobre a glicose, mais controle terá sobre seu diabetes. Este texto apresenta muitos detalhes sobre a glicose e os diferentes alimentos, mas você aprenderá os aspectos gerais de uma alimentação saudável com o seu nutricionista.

É importante ter cuidado com o que você come, mesmo se não tem diabetes, mas lembre-se que a comida não deve ser encarada como medicamento. Os alimentos devem ser bonitos e gostosos. As refeições significam prazer, devemos desfrutar e nos sentir satisfeitos depois de comer. Se você se concentrar apenas nos alimentos considerados bons para você, excluindo todo o resto, não encontrará nenhum prazer na alimentação. Será muito mais gratificante se você puder discutir o que comer com um nutricionista, que irá ajudá-lo a elaborar um plano de refeições com base na rotina e preferências que são importantes para sua família.

"O que posso comer?", "O que devo evitar?", as pessoas com diagnóstico recente de diabetes geralmente fazem as mesmas perguntas. Normalmente, o comentário após a primeira consulta com um nutricionista é "estou feliz por descobrir que posso comer a maior parte das coisas que eu comia antes de ter diabetes". Os conselhos de um nutricionista devem ser repassados para toda a família desde o começo. Em um estudo finlandês com crianças com diabetes tipo 1, todos os membros da família aumentaram seu consumo de leite desnatado, queijos e carnes com baixo teor de gordura. Eles também comiam mais frutas e verduras.

Nutrição

Pessoas com diabetes devem excluir açúcar de sua dieta, certo? Errado. Nos dias de hoje, estudos mostram que quem tem diabetes pode desfrutar de seus alimentos e também viver uma vida saudável e ativa. Comer bem pode parecer difícil, mas os alimentos que contêm uma quantidade moderada de açúcar são muitas vezes aceitáveis. Um entendimento sobre alimentos com carboidratos e como eles afetam a glicose ajudará seu filho com diabetes, mas lembre-se sempre que o alimento deve ser saboroso para toda a família. Um nutricionista pode realizar um plano alimentício adequado para seu filho.

As recomendações nutricionais são baseadas em requisitos válidos para todas as crianças e adolescentes sem diabetes. As crianças precisam duplicar a ingestão energética entre as idades de 6 e 12 anos para crescerem fortes e saudáveis. Nesse momento, elas precisam comer alimentos ricos em energia e proteína. No entanto, se não reduzirem a ingestão energética quando o crescimento parar, correm o risco de se tornarem obesas. Com isso, não existem evidências científicas para a recomendação de suplementos vitamínicos e minerais.

A absorção de carboidratos

A glicose dos alimentos só pode ser absorvida pela corrente sanguínea depois de passar pelo intestino. Ao contrário do que se acreditava, ela não pode ser absorvida pelo revestimento da boca. Para atingir o intestino, o alimento deve passar primeiro pela menor abertura do estômago, onde o esfíncter pilórico (músculo) atua como "entrada". O esfíncter só permite atravessar pedaços muito pequenos.

Carboidratos complexos devem primeiro separar os açúcares simples antes de serem absorvidos pela corrente sanguínea. O comprimento da cadeia de carboidratos, desde a "clivagem" (quebra), parece não afetar tanto a absorção como se acreditava. Carboidratos simples são quebrados por enzimas no revestimento do intestino, enquanto os mais complexos e os amidos são primeiramente preparados pela amilase, uma enzima encontrada na saliva e no pâncreas. 

O amido de fibras não pode ser quebrado em carboidratos no intestino. Algum tempo atrás, os carboidratos foram divididos em ação rápida e lenta, principalmente em função do tamanho da molécula. No entanto, é mais correto falar de alimentos de ação rápida e de ação lenta para avaliar a composição, a quantidade de fibras e de preparação, a fim de determinar o efeito sobre o nível de glicose, e não simplesmente avaliar a quantidade de açúcar puro. O termo "índice glicêmico (IG)" é usado para descrever a forma como diferentes alimentos afetam o nível de glicose.

De acordo com estudos recentes, o conteúdo de fibra e o tamanho das partículas parecem ser muito importantes. O amido de verduras se separa mais lentamente do que o amido do pão. O amido de batata se quebra mais rápido em glicose. O amido de massas se separa mais lentamente, apesar de serem feitas a partir de farinha branca, que é pobre em fibras. A mastigação e o tamanho das partículas do alimento influenciam a resposta de glicose no sangue. Purê de batatas fabricado industrialmente contém um pó fino que é misturado com líquidos. A glicose no purê de batata é absorvida rapidamente, como uma solução de glicose.

As massas e o arroz são ingeridos em maior quantidade e devem ser digeridas antes de poderem ser absorvidas. Do mesmo modo, uma maçã dará um lento aumento de glicose no sangue comparada ao seu suco, que contém partículas menores e está em forma líquida. Quando os alimentos são aquecidos o amido se desintegra, tornando o açúcar mais acessível e de digestão mais rápida.

Os alimentos industrializados são normalmente feitos em altas temperaturas, o que dá a eles um efeito rápido no aumento de glicose no sangue em comparação aos alimentos cozidos em casa. Alimentos industrializados para bebês e alimentos semi-preparados (muitas vezes utilizados em escolas) podem elevar a glicose no sangue, se comparados aos alimentos feitos em casa.

Os carboidratos não digestíveis (fibra) não se separam no intestino e, por consequência, não haverá uma segregação de glicose. A quantidade de carboidratos listados em um rótulo de alimento pode enganar, porque não é feita qualquer distinção entre os carboidratos digestíveis e os não digestíveis. Seu nutricionista pode discutir isso com você.

Revisado em: Nov/2016. 059528-160905